Fratura do terço distal do rádio

  • Imprimir

Mecanismo do trauma:

O mais freqüente é a queda da própria altura com a mão espalmada sobre o solo 

 

Anatomia Cirúrgica do rádio distal: 

A superfície articular distal do rádio apresenta uma inclinação no sentido dorsopalmar (sagital) de mais ou menos 11º, e para o lado ulnar (coronal) de mais ou menos 22º. O comprimento radial é a medida entre 2 linhas perpendiculares ao longo do eixo do rádio, uma da extremidade distal da apófise estilóide do rádio e outra da superfície articular da cabeça da ulna, tendo em média 12 mm.

A superfície articular distal do rádio apresenta 3 concavidades que se relacionam ao escafóide, ao semilunar e à incisura ulnar (ARUD).

A superfície palmar é plana e a dorsal é convexa. O tubérculo de Lister serve como o fulcro por onde transita o tendão extensor longo do polegar.

Nos movimentos de pronosupinação o rádio distal gira ao redor da cabeça da ulna estabilizada pelo complexo da fibrocartilagem triangular. O complexo da fibrocartilagem triangular incluem os ligamentos radioulnares volar e dorsal, 2 ligamentos ulnocarpais (ulnosemilunar e ulnopiramidal) e a bainha do extensor ulnar do carpo.

 

Classificações:

 

Tratamento:

  • Conservador:

    • Fraturas não deslocadas (gesso por 6 semanas)

  • Cirúrgico:

    • Fraturas deslocadas ou com envolvimento articular
    • Fraturas associadas
    • Fraturas expostas

       Opções de tratamento cirúrgico:

    • Pinagem percutânea
    • Fixação externa
    • Fixação externa + Fios K
    • RAFI com placas e parafusos

       Critérios de redução inadequada após redução fechada

    • Degrau articular >2mm
    • Inclinação dorsal >10º
    • Encurtamento radial >5mm
    • Inclinação ulnar <15º

       Critérios de Instabilidade na apresentação

    • Cominuição >50% de dorsal a volar
    • Angulação >20º de inclinação dorsal
    • Encurtamento >5mm
    • Tipo de fratura - articular (Barton)
    • Deslocamento >1 cm (translação de fragmento)
    • Cominuição metafisária
    • Fratura ulnar associada
    • Osteoporose massiva

      Vias de acesso

    • Volar: 
      • Entre o palmar longo e o flexor radial do carpo
    • Dorsal:
      • Entre o1º e 2º compartimentos – Para fraturas do estilóide
      • Através do 3º compartimento – Para fraturas articulares centrais
      • Entre o 5º e 6º compartimentos – Para reparo do complexo da fibrocartilagem triangular ou fraturas da cabeça da ulna